Engordar ao envelhecer não é culpa do metabolismo, é falta de exercício

Engordar ao envelhecer é falta de exercício
Engordar ao envelhecer é falta de exercício

Imagem: iStock

Alguém já deve ter falado para você em tom alarmante que depois dos 40 anos é ladeira abaixo quando o assunto é peso. “É tudo culpa do seu metabolismo, ele vai desistindo de trabalhar”.

Cuidado com os conselhos. Não é bem assim.

O metabolismo realmente desacelera anualmente depois dos 30 anos, mas a taxa que fica lenta é mínima.

A maior parte do ganho de peso que ocorre na meia idade não se deve ao metabolismo lento, e sim, ao simples fato de que você se torna menos ativo.

Como deixamos de nos mexer tanto, nós perdemos músculos – e são eles os principais responsáveis por demandar mais energia do organismo. E, ao se movimentar menos, por consequência ainda ganhamos gordura. A notícia pode soar como um tapa na cara, mas pense pelo lado positivo: sabendo que o problema é o sedentarismo, é fácil resolver: movimente-se!

Mas como o corpo queima energia?

Nosso metabolismo pode funcionar de quatro maneiras diferentes para queimar energia.

Temos a taxa metabólica de repouso, que como o próprio nome diz, é a quantidade de energia que gastamos quando estamos parados. De acordo com uma pesquisa da Universidade de Tufts, essa medida depende de vários fatores, como altura, sexo e até seus genes, e não há muito como modificá-la.

Já quando estamos em movimento, nosso corpo pode entrar em outras três fases diferentes. Estas fases são os tipos de metabolismo que as pessoas se referem quando dão dicas e dizem, por exemplo, que comidas picantes (como gengibre e pimenta)  aceleram o metabolismo – spoiler: a maioria das dicas para potencializar o metabolismo não funciona.

Uma das fases do metabolismo fora do repouso acontece quando estamos comendo e queimamos calorias, aproximadamente 10% do total gasto em um dia. Este é o chamado efeito térmico da comida, segundo estudo publicado pela Universidade Vanderbilt, nos EUA.

Até conseguimos potencializar este processo com bebidas estimulantes, como café, segundo pesquisa publicada no periódico American Journal of Clinical Nutrition, e comendo grandes quantidades de proteína. Mas não se empolgue, nada disso ajuda a perder peso de fato, é apenas um pequeno impulso no metabolismo, não o suficiente para gerar emagrecimento.

Solução? Mexa-se

Sem surpresa, para queimar calorias o mais importante é fazer exercícios.

Se estamos subindo escadas ou suando em uma aula de muay thai, estamos gastando energia. E essa terceira fase do metabolismo é durante a atividade física, de acordo com estudo divulgado no Public Health Nutrition.

Depois de um exercício intenso, continuamos queimando calorias que nós queimaríamos se estivéssemos em repouso – e essa é última fase, o consumo excessivo de oxigênio pós-exercício, segundo pesquisa feita pela área de farmácia e medicina da Universidade do Sul da Austrália.

Quando se trata de contrariar o ganho de peso, as fases relacionadas à atividade física são as mais importantes. Sua melhor aposta para queimar mais calorias ao longo do dia é aumentar os níveis de qualquer tipo de atividade.

E preste atenção no seu prato. Além de ficarmos menos ativos à medida que envelhecemos, também ficamos menos perceptivos as nossas necessidades nutricionais. Tente não comer muito e prezar pela qualidade dos alimentos.

É a boa e velha receita: comer bem e praticar exercícios. Se você tiver foco nessa missão vai ver o tempo passar sem o ponteiro da balança subir.

Fonte: Vida Saudável UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *